Própria/SE

O Baixo São Francisco se liga aqui!

Previous slide
Next slide

Pão de Açúcar/AL

História

Foi com a doação de uma vasta quantidade de terras de D. João VI aos índios Urumaris, às margens do rio São Francisco que nasceu a cidade de Pão de açúcar. Muitos reflexos da lua nas águas do rio que deram o primeiro nome à cidade, “Jaciobá”, “Espelho da Lua” em guarani. Outra tribo, a dos Chocós, que habitavam a ilha de São Pedro invadiu o lugar e expulsaram os Urumaris. Na mudança para o outro lado rio, também chamaram a cidade nova de Jaciobá.

A região, através de uma carta de sesmaria passou ao domínio de um português, em cerca de 1660. Lourenço José de Brito Correia iniciou uma fazenda de gado e batizou a região de Pão de Açúcar, nome inspirado, acredita-se, no Morro do Cavalete, uma elevação próxima dali, usada no processo de clarificação do açúcar.

Estas mesmas terras foram leiloadas em 1815 e o padre José Domingos Delgado e seus irmãos foram os ganhadores. A fazenda prosperou, tornou-se uma vila, e foi elevada à categoria de cidade em 1877.

Visita do imperador

É destaque na história de Pão de Açúcar a visita do imperador D.Pedro II que, em viagem à cachoeira de Paulo Afonso, pernoitou na cidade nos dias 17 e 22 de outubro de 1859. Em seu diário de viagem, depositado no Museu Imperial, D. Pedro tece elogios à vila: “A vista do Pão de Açúcar é bonita”. O imperador descreve como foi sua chegada: “Cheguei por volta das 8 ao Pão de Açúcar. Receberam-me com muito entusiasmo e um anjinho entregou-me a chave da vila. Defronte desta povoação há uma grande coroa de areia, que me cansou atravessar e com a luz dos foguetes, que não têm faltado por todo o rio(…). No outro dia,”acordei antes das 5, e pouco depois das 6 fui dar um passeio pela vila. A matriz é pequena, mas decente, só tem inteiramente pronta a capela-mor, o resto acha-se coberto. Há uma bela rua direita longa e muito larga, e outra perpendicular também direita, porém menos longa e larga. Só vi uma casa de sobrado, a da Câmara, onde me hospedei.”. O sobrado onde pernoitou D. Pedro II encontra-se em reforma e será transformado em museu.

Em comemoração ao sesquicentenário (150 anos) dessa visita, com origem da Foz do Rio São Francisco – Praia do Peba; Piaçabuçu; Penedo; Traipú; Pão de Açúcar; Piranhas (AL) e Paulo Afonso (BA), o Príncipe Dom João de Orleans e Bragança, herdeiro da família imperial, esteve visitando no dia 17 de outubro de 2009 a cidade de Pão de Açúcar – AL, na mesma data do seu Avó – Dom Pedro II. No dia seguinte, foi feita a doação do prédio onde pernoitou o Imperador, pelo Sr. Elmano Machado Gonçalves, que passou a denominar-se Museu do Paço Imperial, que será reformado e finalmente passará a funcionar como museu.

Clima

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1977 a 1980, 1986 a 1989 e a partir de 1995, a menor temperatura registrada em Pão de Açúcar foi de 12,3 °C em 3 de agosto de 1997,[6] a maior atingiu 42,8 °C em 26 de novembro de 2015.[7] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 101 milímetros (mm) em 28 de julho de 1997.[8] Janeiro de 2004, com 412,4 mm, foi o mês de maior precipitação.[9]

Deixe uma resposta

MAIS LIDAS

IMG-20240626-WA0241
Prisões e apreensão de drogas em Cedro de São João
Screenshot_2024-07-07-08-57-19-697_com
Traição Política em Cedro de São João: Vereador Cícero deixa situação e migra para a oposição
Screenshot_2024-07-15-16-03-45-484_com.instagram
Prefeito Aldo Popular Prepara Romaria do Padre Cícero na Serra do Gila
Screenshot_2024-07-12-08-22-55-118_com.android
Motocicleta com Sinais de Adulteração é Apreendida em São Francisco-SE
Screenshot_2024-07-21-19-18-37-127_com
Prefeito de Telha , Flávio Dias, Anuncia Lucas Freire como Seu Candidato a prefeito e José Nunes como vice
Rolar para cima